Casa Circular #1: atelier

O projeto Casa Circular é um modelo pioneiro de construção inspirado no Cradle to Cradle e desenhado para a Economia Circular. O edifício foi realizado em parceria entre a Flock e Okna arquitetura, e teve planejamento para otimização contínua dos recursos envolvidos. É uma alternativa de construção que promove interações positivas entre o ser humano e a natureza. Para isso, foram pensadas soluções de design que prezam pela qualidade, saúde, inovação, circularidade e modularidade.

A casa circular é construída com materiais saudáveis para os usuários e meio ambiente. Conhecemos nossos fornecedores e o percurso que cada material fez até chegar na Casa Circular. Além disso, utilizamos resíduos de outras construções ou processos como novos materiais na casa. Porém, eles devem sempre atender aos nossos critérios de saúde e bem estar.

Do projeto à construção, nos preocupamos para que cada material ou componente da casa possa ser separado dos demais para retornar aos ciclos, sejam técnicos ou biológicos. Assim, os materiais podem ser reaproveitados para próximos ciclos de vida, em outras construções ou novos produtos.

Além disso, a Casa Circular é um banco de materiais. Neste projeto cada material tem o seu devido valor, que deve ser recuperado quando seu uso não for mais necessário. Além disso, a casa tem iluminação natural e ar fresco abundantes, captação e reuso de água e nutrientes, ótima orientação solar para utilizar energia renovável em abundância.

A primeira Casa Circular foi construída em Pinheiros, São Paulo. O modelo é uma construção para abrigar um ateliê de arte. O projeto é resultado de muito estudo e pensamento sobre como construir de forma circular, rápida, sem desperdício, com viabilidade financeira, qualidade e estética.

Sem cola. A casa foi feita para montar e desmontar, reduzir ou ampliar: a construção foi desenhada para ser desmontável, e mais importante do que utilizar materiais reciclados é que eles sejam recicláveis para os próximos ciclos.

Obra rápida e limpa. Foram 25 dias para produção e montagem, sendo que apenas 10 dias de obra! E não foi necessário nenhuma caçamba, pois nesta obra não geramos resíduos! Ao contrário: reutilizamos materiais que eram resíduos de outras construções como insumos em nosso atelier. A fundação foi feita com pneus descartados e brita e os fechamento externos da casa foram feitos em madeira de pinus provindos de formas de concreto de uma outra obra.

Estamos em busca de parceiros e apoiadores para continuar experimentando e aprimorando a Casa Circular. Vem com a gente!

 

Veja o que saiu sobre a Casa Circular na mídia:

UOL – A casa com vida infinita

Archidaily – Casa Circular: arquitetas projetam atelier baseado na economia circular e princípios de sustentabilidade

Ideia Circular – Casa circular mostra na prática o que é um edifício circular

Átomo: Em harmonia com o meio ambiente

 

Casa Viva – a casa da abundância e da vida saudável

Nos inspiramos no conceito Cradle to Cradle ® para criarmos esse projeto da Casa Viva, que ficou entre os finalistas do Concurso Público Nacional de Arquitetura – Casa da Sustentabilidade – sede do COMDEMA na Lagoa do Taquaral – Campina, organizado pelo IAB- Campinas. O projeto foi realizado em co-autoria de Léa Gejer, Katia Sartorelli Veríssimo, Marilia Rondinelli Boccia, Marta Levy e Thiago Reple e colaboração de Andre Gambini, Fernando Pinheiro Boccia e Felipe Pinheiro.

Entendemos que habitar é transformar intencionalmente a natureza, dotando de sentido e de valor, a casa, é o  produto dessa transformação. Localizada no parque Portugal, lagoa do Taquaral, em Campinas, a Casa Viva propõe uma outra forma de morar consciente e integrada a natureza, aliando tecnologias sustentáveis de ponta a saberes da casa vernacular brasileira. A Casa Viva  é um espaço destinado a geração de abundância, manutenção da vida e da saúde humana.

Mas, falar de morada em um edifício sede do COMDEMA e de exposições? Embora o programa não seja o de uma casa familiar, as funções: lazer, comer, descansar, brincar, trabalhar, etc. estão presentes nesse projeto e podem nos ensinar que habitar  a casa, o edifício, o parque, a cidade, o planeta requer o mesmo cuidado e afetividade.  Uma “casa” modelo com o uso de diversos materiais e tecnologias para repensar e inspirar o modo de habitar a própria casa e o planeta.

As soluções adotadas estão sempre à mostra e todo o sistema é desenhado de forma circular, ou seja os resíduos de um processo são entendidos como alimentos e não geram lixo. Em todos os edifícios a água e os nutrientes são parte de um ciclo fechado integrado a natureza ao entorno. A energia solar e o vento são utilizados em sua máxima potencialidade em todos os blocos, seja pela redução de consumo, de forma passiva, através do uso de ventilação cruzada, dutos de ventilação, e iluminação indireta, como através da produção energética com painéis fotovoltaicos e mini-turbinas eólicas. A produção de alimentos dispersada pela área de intervenção também é uma forma de produção de energia, que junto ao paisagismo ornamental, dá suporte à uma vasta gama de espécies.

Assim como sistemas naturais, os sistemas integrados de água, energia e nutrientes abastecem positivamente  o local, além de conectar a Casa Viva ao parque do Taquaral. As tecnologias de tratamento da água, as quais utilizam plantas e animais como infraestrutura, ficam na superfície, propiciando uma nova relação dos usuários com o meio ambiente – trazendo à vista o poder regenerativo de sistemas naturais, requalificando a paisagem, aumentando o tempo de escoamento e gerando  benefícios estéticos e de conforto.

A casa vai além da sustentabilidade: é um local de abundância e geração de biodiversidade mantenedor da vida saudável.

 

Reportagem sobre economia circular e design de berço a berço

Em entrevista para Folha de Londrina, Léa Gejer explica porquê a reciclagem deve ser pensada já no design dos materiais e produtos.

Leia a matéria completa aqui: http://bit.ly/folhadelondrina-economiacircular

Fonte imagem: Folha de Londrina